Fluxo de Caixa fundamental para um controle Eficiente

Uma das principais preocupações na gestão de uma empresa é o fluxo de caixa. Mas será que você sabe lidar com o controle de todas as suas receitas e despesas?

Elaboramos este post para ajuda-lo a fazer um fluxo de caixa de seu estabelecimento. Além disso, vamos mostrar quais os benefícios que esse controle gera para o seu negócio. Confira Agora!

O que é o fluxo de caixa?

fluxo de caixa é o controle das movimentações financeiras da empresa (receitas e despesas). Em outras palavras, é a forma que o empreendedor tem de saber tudo o que ele recebeu e tudo o que foi gasto em um período de tempo. O ideal é que esse controle seja feito diariamente, para que o empreendedor tenha conhecimento da quantidade de dinheiro que circula na sua empresa.

Como elaborar o fluxo de caixa?

Para elaborar o fluxo de caixa da sua empresa, você pode contar com a ajuda de planilhas prontas, disponíveis online para download, ou, ainda, utilizar softwares de gestão, que padronizam e analisam os dados. Dessa forma, o empreendedor tem como registrar todas as movimentações realizadas durante o dia e não corre o risco de causar um descontrole financeiro na sua empresa.

Outro ponto importante que deve ser controlado juntamente às movimentações financeiras é o estoque da empresa. Esse controle mostra quando o comerciante deve repor o seu estoque, bem como a quantidade de produtos que ele deve adquirir. Dessa forma, é possível que o empreendedor saiba como acrescentar investimentos e gastos no fluxo de caixa da empresa.

No caso da loja de roupas, as estações do ano ditam as tendências de moda e influenciam diretamente no estoque. Sendo assim, não esqueça de fazer o controle de seu inventário de estoque para evitar que as mercadorias fiquem “encalhadas” e prejudiquem o seu fluxo de caixa.

Quais são as vantagens do uso do fluxo de caixa?

Um fluxo de caixa permite que o empreendedor tenha acesso às receitas e despesas da empresa de forma organizada e categorizada. Assim, é mais fácil realizar análises gerenciais e entender, por exemplo, quais são os gastos que podem ser reduzidos ou cortados.

Outra vantagem é o conhecimento dos recursos que podem ser utilizados para o pagamento de dívidas ou para um investimento em seu estabelecimento. Isso se dá pelo fato de o empreendedor ter acesso ao fluxo de caixa, permitindo a ele tomar decisões embasadas em dados financeiros reais.

Alguns softwares de gestão permitem — além da inserção e categorização de receitas e despesas — o cadastro de perfis de clientes. Essas informações ajudam o empreendedor a entender melhor o seu público, aumentando, consequentemente, o número de vendas.

FLUXO DE CAIXA: EQUILIBRE AS FINANÇAS EM 6 PASSOS

O Fluxo de caixa é uma ferramenta de gestão muito importante para garantir a saúde financeira de qualquer empresa. Por meio desse instrumento, o gestor controla a entrada e a saída de recursos em um período de tempo específico, para rastrear e mensurar completamente a movimentação de capital no negócio.

O bom controle do fluxo de caixa permite que o empreendedor tenha uma ideia mais precisa de seus custos de produção e consiga prever a lucratividade do negócio, além de ajudar na tomada de decisão sobre os investimentos que serão necessários para tornar a empresa sustentável ao longo do tempo.

Vamos conhecer algumas atitudes que poderão manter seu fluxo de caixa em dia!

Fluxo de Caixa Eficiente Dicas

1.Atualize as informações diariamente;

Não se esqueça: o fluxo de caixa é uma tarefa que exige disciplina e assiduidade. Informações desatualizadas tenderão a compor cenários imprecisos, comprometendo as decisões estratégicas da empresa.

A periodicidade depende da natureza do negócio e do segmento de atuação, mas a regra geral é que nenhum fluxo de caixa resiste a lançamentos aleatórios e esparsos.

2.Organize os lançamentos em categorias;

Destinar um lugar específico para as entradas e outro para as saídas deixará a interpretação do fluxo de caixa mais simples. Separe os gastos gerais, as retiradas de pró-labore, o valor dos impostos, os recursos para o pagamento de salário, as contas fixas e demais despesas e receitas ocasionais.

3.Só considere gastar os recursos que a empresa já tiver recebido;

Não conte com dinheiro que ainda não existe, de fato. Se uma venda expressiva foi feita, ótimo. Comemore! Mas espere até receber os valores para, então, investir ou dar qualquer outro destino aos recursos.

Quando o gestor gasta aquilo que ainda não tem, o fluxo de caixa começa a ficar distorcido, gerando uma compreensão mais equivocada do panorama financeiro da empresa.

4.Conheça suas despesas e estude a composição ideal de preços;

Você sabe realmente quais são os custos totais, incluindo despesas de produção, desenvolvimento, divulgação e comercialização? Somente depois de conhecer a fundo esses itens será possível partir para a formação de preços, de modo que a rentabilidade do negócio não fique comprometida.

Além disso, ter a noção exata dos custos permite que o gestor esteja preparado para elaborar políticas de desconto que não venham a destruir o lucro, ainda que aumentem as vendas.

5.Não se torne um refém da sua própria oferta;

Depender sempre dos mesmos produtos e serviços pode deixar o fluxo de caixa mais sensível às mudanças do mercado. Assim, quando caírem as vendas de um determinado item que é tratado como o “carro-chefe”, a empresa poderá sentir mais intensamente o baque.

Ao contrário, quando a organização é capaz de diversificar sua oferta ao consumidor, aumentam as chances de gerar mais receitas em diferentes períodos.

6.Invista em estratégias de fidelização;

Conquistar e manter clientes que já compraram uma vez faz todo sentido, pois, deste modo, a empresa pode aumentar seu volume de vendas e, consequentemente, ampliar a lucratividade e contribuir para manter o fluxo de caixa sempre no azul.

Mecanismos de fidelização e de ofertas exclusivas podem ser boas alternativas, ainda mais considerando o custo de prospecção de novos clientes, para mais informações sobre estratégias de fidelização e de controles financeiros, faça um cadastro.

 

No início, preencher planilhas ou inserir os dados da empresa em um software pode parecer complicado, mas o gestor deve entender a importância que esse controle tem para a saúde financeira de seu negócio. Se você ficou interessado por esse assunto, siga a nossa página no Facebook e fique por dentro de outros conteúdos interessantes!

2020-06-30T22:18:03+00:00

Leave A Comment