Estoque de Segurança

Estoque de Segurança

Já pensou perder dinheiro de uma venda não concluída por falta de produto em estoque? Tudo bem, uma perda até vai, afinal imprevistos acontecem. Mas de uma em uma, sua empresa pode deixar de faturar uma boa quantia no final do mês. é exatamente por isso que pensar sobre custos, logística e gerenciamento de estoque é tão importante para a saúde do seu negócio. Então, que tal entender um pouco mais sobre o que é o estoque de segurança e sua real importância?

É bem comum ver empresas gerindo seus estoques com o mínimo de produto que puderem para evitar gastos desnecessários, especialmente nesse período de crise e cortes de gastos. Isso porque com baixos valores destinados à gestão de estoque dá para investir o capital que ficaria ocioso em forma de estoque.

Mas, nem sempre essa pode ser a melhor solução. Quando uma empresa não possui estoque para atender imediatamente ao pedido de um cliente, ela abre espaço para que ele busque um de seus concorrentes para satisfazer a sua necessidade.

Entretanto, o estoque de segurança não é uma regra. Daí a necessidade de conhecer bem o mercado e o público ao qual deseja atingir.

Optando pelo estoque de segurança

A principal importância, e benefício, de ter esse estoque é diminuir o risco da empresa não ter produtos procurados, dando mais segurança a mais para o negócio, inclusive em caso de situações inesperadas.

Algumas empresas possuem demandas estáveis, que são previstas com antecedência, e que sofrem variação baixa durante o mês. Entretanto, as que trabalham com mercadoria, principalmente as que fazem venda direta ao cliente, podem sofrer grande variabilidade mensal e sofrer com imprevistos.

Você também pode pensar em estoque de segurança sazonal, ou seja, somente em datas comemorativas, que geralmente aumentam bastante as vendas. E esse estoque não significa, necessariamente, a mercadoria final. Na indústria, por exemplo, o estoque será de matéria-prima para garantir que a produção não pare.

O que é o estoque de segurança e como você calcula isso?

Em um mundo perfeito, você jamais iria ter que se preocupar com a falta de produtos em seu estoque. Aumento da popularidade de seu produto fazendo com que o seu fornecedor não consiga lhe entregar o produtos, nunca aconteceria. Quebra de maquinários, greves de fornecedores, enfim.. Nada disso aconteceria em um mundo perfeito.

Mas como estamos falando no mundo real, sabemos que no setor de logística, imprevistos acontecem e se não estivermos preparados o prejuízo poderá ser muito grande.

Como varejista, como você lida com esses incidentes? Para de vender até que tudo volte ao normal? Claro que não. Entrega o pedido com atraso? Isso até que pode funcionar, por pouco tempo e você ainda irá correr o risco de perder vendas e o pior, perder a fidelidade de seu cliente. Então, o que você pode fazer para se proteger contra incidentes inesperados e manter seus clientes satisfeitos?

A resposta está no estoque de segurança. O estoque de segurança é como uma pequena caixa de primeiros socorros que você pode recorrer quando as coisas ficam difíceis e parece que você está prestes a se dar mal. Seria ótimo nesses momentos ter o estoque suficiente para lhe atender para que possa resolver a situação, mas não será nada bom ter muito mais do que precisa pois isso pode acabar influenciando as suas finanças. Essa é a grande dúvida, decidir quanto estoque de segurança se deve ter.

Existe uma grande tentação de estocar o suficiente para durar até que uma nova remessa (ou duas) chegue, mas lembre-se sempre de que, quanto mais você estoca, maiores são seus custos de transporte, de armazenamento, manutenção e controle de estoque, fora o perigo de ficar com um estoque obsoleto.

Então como posso calcular o estoque de segurança?

Como já dissemos existe uma linha muito tênue entre o estoque de segurança satisfatório e o estoque de segurança que irá te dar prejuízos. Mas podemos fazer alguns cálculos que podem te ajudar.

  1. Multiplique o seu uso diário máximo pelo seu prazo máximo em dias.
  2. Multiplique seu uso diário pelo seu tempo médio de entrega em dias.
  3. Calcule a diferença entre os dois para determinar o seu estoque de segurança.

É fácil! Tudo o que você precisa para começar é o histórico de compras e pedidos de vendas. Para dar um exemplo;

Digamos que temos um negócio que vende sapatos importados feitos manualmente. Geralmente os sapatos demoram 55 dias para chegar até nós. Vendemos certa de 10 sapatos por dia (esse é o uso diário médio) e nos fins de semanas chegamos a vender até 14 sapatos (uso diário máximo). Infelizmente, devido a uma greve, os nossos sapatos terão um atraso de aproximadamente 60 dias (prazo máximo de entrega em dias).

Assim, conforme o cálculo, os níveis de estoque de segurança seriam: (14 x 60) – (10 x 55) = 290.

Isso significa que precisamos de ter cerca de 290 unidades de estoque de segurança à mão a qualquer momento. Com 290 unidades vendidas, vendendo cerca de 78 sapatos por semana (10 por dia durante a semana e 14 por dia nos finais de semana), temos estoque suficiente para durar três semanas e meia.

Seu estoque de segurança está lá para protegê-lo de todas as flutuações na demanda e no tempo de espera, protegendo você contra todas as ocorrências inesperadas – de um surto de surpresa em popularidade, maquinários quebrados e atrasos subsequentes.

Dependendo do que você está vendendo, talvez você precise prestar atenção às estações do ano. Por exemplo, poderá ver um pico de demanda no Natal. Talvez os sapatos tendem a sair das prateleiras em dezembro, já que seriam ótimos presentes de Natal, triplicando a demanda. Então, para dezembro, precisam garantir que eles tivessem estoque de segurança suficiente para atender a essa triplicação de demanda.

No entanto, uma vez que a alta temporada acabou, é hora de começar a reduzir seus níveis de estoque de segurança. Lembre-se sempre: mais estoque de segurança = maiores custos de logística.

Níveis de estoque de segurança e ponto de reabastecimento

Então agora você sabe exatamente quanto estoque de segurança você precisa manter à mão. Quando é hora de decidir sua quantidade de reordenamento, você não deve manter seu estoque de segurança atrás de uma caixa de vidro que diz “Quebre em caso de emergência”. Em vez disso, deve ser uma quantidade que exista em seu software de gerenciamento de pedidos, especialmente porque é uma parte fundamental dos cálculos de ponto de reabastecimento !

Então, se você analisou o cenário do mercado e as necessidades da sua empresa e decidiu que o melhor é ter um estoque de segurança, não pode se esquecer de fazer uma boa gestão.

Como fazer a gestão de estoque?

Para ter um bom gerenciamento do estoque de segurança, é fundamental conhecer bem seu público alvo e suas necessidades, para conseguir determinar quais mercadorias vendem mais que as outras e, por isso, merecem ter um estoque maior. Pois de nada adianta investir na compra de mais materiais se eles forem ficar encalhados no depósito.

E uma dica importante para conseguir saber o que vende mais e o que vende menos é fazer o inventário de estoque e elaborar um planejamento de compra com base nesses dados de saída dos produtos.  O equilíbrio entre o que é investido e o que realmente vende é essencial para obter lucros com as vendas.

Você já administra o inventário de estoque do seu negócio? A falta de controle pode significar vendas a menos no final do mês, comprometendo o crescimento da sua empresa em longo prazo. Não corra esse risco!

 

2018-08-14T17:18:22+00:00

Leave A Comment